Retorna
  Martiniano, governador - José Martiniano de Alencar, padre e senador, desempenhou um papel de significativo destaque, na fase que antecedeu a decretação da Maioridade de Pedro II . As confabulações parlamentares se realizavam em sua residência no Rio de Janeiro, ao lado de Quintino Bocaiuva e outros do chamado clube dos invisíveis, cujo objetivo único era levar o jovem príncipe, até então com 15 anos, para o trono, sucedendo o pai, Pedro I , que abdicara. Decretada a maioridade, todos tinham certeza da escolha de Martiniano para compor o chamado Ministério da Maioridade. O escolhido foi o seu colega senador Antônio Carlos. O qual, tão logo tomou conhecimento do fato, avisou que procuraria o Imperador para desistir em favor de Martiniano de Alencar, este sim, no seu entender e dos colegas de Clube, o candidato natural à condição de Ministro. Martiniano, ante essa atitude, chama Antônio Carlos a um canto da sala e lhe confessa o desejo verdadeiro - queria era ser presidente da Província do Ceará. E foi. Um grande Governador aliás. Entre os cinco maiores que nosso estado já teve, juntando Monarquia e República.