Retorna
Contra o crime - No tempo da monarquia brasileira, o Ceará teve um presidente de província que tornou-se célebre pelo combate obstinado ao crime organizado - marca do relacionamento político da província. Chamava-se Inácio Francisco Silveira da Motta (de 14.11.1850 a 6.7.51). O Ceará estava infestado de celerados, bandoleiros de outras terras, pistoleiros de aluguel convocados pelas chefias políticas locais. O presidente Ignácio Silveira Motta entrou na luta . Começou a limpeza com a prisão de Conduru (Antônio Ferreira Braga), foragido da prisão de Fernando Noronha que atemorizava os sertões. Prendeu Fandango (Antônio Bernadino), pistoleiro a serviço das lideranças políticas da região do Quixeramobim e que trazia nas costas até a morte de um padre. Igualmente foi capturado Antônio Brandão que participara do assassinato do Major Facundo e estava a dez anos livres. Ignácio Silveira Motta foi o terror dos Criminosos. Curiosamente era um homem de fino trato. Administrava preocupado com as grandes realizações. É sua por exemplo, a iniciativa de trazer para o Ceará, em 1851, a primeira máquina de descaroçar algodão (que seguiria para Maranguape, para uso do agricultor Inácio Pinto de Alencar). O presidente Ignácio Ferreira da Motta deixou o Governo debaixo de aplauso de toda a população o que era raro naquela época.