Home

Aquiraz
Posição no mapa

 


Participe!
Se você detectou alguma informação incorreta e possui mais informações atualizadas sobre esta cidade, envie-nos e nós publicamos.
    Clique aqui para enviar

 



HISTÓRICO

Data da Criação: 13/02/1699.        

Instalação:
09/05/1713.      
Toponímia:"Gente da Terra".            
Variação Toponímica: São José do Ribamar do Aquirás                                     Padroeiro: São José de Ribamar.           
Dia: 19/06.
História: Suas raízes datam do último quartel do Século XVII, quando ainda originalmente incubado nos primórdios da colonização. Constam como sesmeiros e proprietários sucessivamente do Sítio Aquiraz, em primeira posse, o preador de índios Estevam Velho de Moura e, em segunda e terceira, Manuel da Fonseca Leitão e João Barros Braga. Seria deste último, por escritura de, compra e venda à Câmara Municipal, que se formaria o patrimônio no qual se fixaria o complexo urbano da Vila de São José de Ribamar do Aquiraz.
       Aquiraz possui longa e controvertida história. Em 1699, quando em Carta Régia determinava a Corte se crie em Vila o Ceará, omite-se no tocante à localização, deixando ao Capitão-GeneraL Governador de Pernambuco a escolha que melhor aprouvesse.
       Nesse estágio Aquiraz ainda não aparece, porém o reduto portuário de Iguape, economicamente mais forte e demograficamente melhor aquinhoado. O reduto da Fortaleza, habitado quase que exclusivamente por militares, abrigava apenas o chefe da Capitania e o Poder Eclesial, representado este pelo Capelão-Mor do Presídio. Era, contudo, o local de preferência não só do representante local do governo, como também do superior hierárquico da Mauricéia, de sorte que situar a Vila em outro endereço seria nada menos que tentar escalar o Himalaia de cabeça para baixo.
       Desatentos a essas prerrogativas e da influência política do Capitão-Mor Gil Ribeiro, moradores iguapenses resolveram instalar Senado e Câmara em suas dependências gregárias, considerando que o sistema unicameralista seria o bastante nas decisões administrativas. Os tributos, até então arrecadados por sua Congênere do Rio Grande, tomariam o caminho de origem, beneficiando regiamente a capitania.         Informado dessa resolução e não satisfeito com a localização da Câmara no Iguape, o Capitão-General e Governador de Pernambuco oficiou ao Governador Gil Ribeiro, determinando não apenas a suspensão do ato, mas também a instalação da Vila e Câmara junto ao Forte. Cumpre-se essa resolução em 1701. A partir de então, não o Iguape, mas a Barra do Ceará entra na liça, reivindicando o mesmo privilégio para sua povoação. Consegue. Desse estágio e a passar por sucessivas alterações, chega-se ao ano de 1706, quando os camaristas iguapenses propõem a transferência da Vila para o reduto de Aquiraz.
       A Carta Régia, datada de 30 de janeiro de 1711, decide favoravelmente aos anseios do povo de Aquiraz, acolhendo como justificativa a localização do reduto cujo território tinha como vizinhos o rio chamado Pacoty e o porto do Iguape, podendo neste atracarem barcos conduzindo farinha e carne. Após vários acertos de ordem funcional, realizou-se a transferência, evento que tem registro a 27 de junho de 1713.
Evolução Política: Vila e Câmara, já sem problemas em termos de batalha, trataram, povo, clero e autoridades em geral, da busca em torno do título máximo ou solicitando das autoridades constituídas a elevação da jovem intinerante à categoria de Cidade. Essa nova conquista veio através da Lei nº 1.258, de 27 de julho de 1915, após dois séculos de espera, mas a contentar a geração que a tantas outras sucedera. Contudo, essa nova etapa ainda veio a sofrer descontentamento, posto como o decreto nº 1.156, de 4 de dezembro de 1933, suprimiu o Município, sendo finalmente restaurado na forma do Dec-Lei nº 448, de 20 de dezembro de 1938.
Igreja:  No começo os habitantes do Aquiraz tinham como dever religioso, além das práticas doutrinárias, a caminhada de seis léguas, indo até o Presídio de Fortaleza, onde o Capelão-Mor desempenhava suas obrigações litúrgicas. Além dos incômodos próprios da viagem, senhoras de trato queixavam-se dos soldados portugueses irreverentes e a dirigir-lhes pilhérias. Essa situação de mal-estar foi tolerada por algum tempo, porém chegou-se ao momento de reação. Entrou nessa questão o padre e Superior João Guedes. Juntos expuseram e fizeram reivindicações junto a Lisboa. Veio a resposta. Em Ordem Régia, datada de 8 de agosto de 1721,determinou-se que fossem removidas para o Aquiraz imagens e paramentos existentes na capela de Fortaleza. Conclui-se dessa resolução já possuísse a Vila sua capela, faltando apenas autorização de ordem superior.

GEOGRAFIA
Área: 482,8km.                                                          

Área(% em relação ao Estado):
0,32.              
Altitude:14,23m.                                                    
Latitude:
3°54’.                                                     
Longitude:
38°23’28".                                         
Mesorregião: Fortaleza.                                      
Microrregião: Fortaleza.                                            
Limites:
Norte – Oceano Atlântico; Sul – Horizonte; Leste – Pindoretama; Oeste – Pacatuba e Eusébio.              
Distritos:
Camará, Caponga de Bernarda, Centro, Patacas, Taperas. Justiniano de Serpa, Jacaúna.                    
Acidentes Geográficos:
Rio Pacoti, Riacho Catu, Barra do Pacoti, e as Praias do Botoque, Prainha e Iguape.
Recursos Hídricos: Pluviometria ( a média anual é de 1.532mm).

EDUCAÇÃO
N° de Escolas:
                                                        
Rede Municipal Pré-Escolar 1° Grau- 58                       
Rede Estadual Pré-Escolar 1° e 2° Grau-04                     
N° de Alunos Matriculados:                                     
Rede Municipal Pré-Escolar-495                                      
1° Grau-2.860                                                              
Rede Estadual Pré-Escolar- 41                                       
1° e 2° Grau-175.

SAÚDE
O Governo Estadual tem no município os seguintes postos: Centro de Saúde de Aquirás (Clínica Médica), Posto de Saúde Câmara, Posto de Saúde de Patacas, Instituto Penal Paulo Sarasate (Clínica Médica). O município possui as seguintes unidades de saúde mantidas pela Prefeitura: Programa de Integração S. e M. de Aquirás, Hospital Geral Manoel de Assunção Pires, Posto de Saúde da Prainha, Posto de Saúde Tamatamduba, Posto de Saúde de Mangabeira e Posto de Saúde de Patacas. Há também o ambulatório mantido pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Aquirás, o ambulatório da Unidade de Saúde de Bitupitá da Colônia de pescadores ZI de Camocim, e a Clínica Médica do Centro Social da Legião Brasileira de Assistência.

ESTATÍSTICAS
População Censo de 1999: 56.368.

Densidade Demográfica(hab/km²):: 95,90.
Distância da Capital em Linha Reta:21km.
Distância por Rodovia: 26km.                                                                      
Emissoras de Rádio:
Rádio Vale do Pacoti Ltda, (Rádio Primeira Capital)- OM, Potência de 5/0,5kw, freqüência de 1.050 KHZ.
Abastecimento D'água: 769 ligações.
Energia Elétrica:: N° de consumidores- 10.365. Total consumo- 2.417.900.

PRODUÇÃO
Produção: Produtos agrícolas- algodão , banana, caju, cana-de-açúcar, mandioca e feijão. Pecuária: bovinos, suínos e aves.          

Indústrias: 23.

RECURSOS
Arrecadação do ICMS :.        

Renda Interna Municipal :.
Renda per Capita :.

PREFEITURA
.
Endereço:
Praça Cônego Araripe,76
CEP:
61.700-000
Fone:
(88) 361-2060
Fax:
(88) 361-1336
Eventos:
Ceará Wind 2000, Feira Metropolitana do Artesanato, Festa de São José de Ribamar, Padroeiro da Cidade, Festa de Nossa Senhora dos Navegantes.

www.ceara.com.br
©2003 - Todos os direitos reservados.
Contatos com Webmaster