Home

Sobral
Posição no mapa



Participe!
Se você detectou alguma informação incorreta e possui mais informações atualizadas sobre esta cidade, envie-nos e nós publicamos.
    Clique aqui para enviar

 



HISTÓRICO

Data da Criação: 14/11/1772.            

Instalação:
05/07/1773.                        
Toponímia:
Significa abundância de árvore.
Variação Toponímica: Fidelíssima cidade, Januária do Acaraú.                                Padroeira: Nossa Senhora da Conceição.
Dia
: 08/12.

História: Suas origens remontam ao Século XVII, quando diversas famílias pernambucanas estabeleceram-se e fixaram-se economicamente no criatório bovino. Data de 8 de novembro de 1682, uma das maiores concessões de Sesmarias já feitas de uma só assentada. Coube essa liberalidade ao Capitão-Mor Bento Faria de Macedo ao doar uma área correspondente a cinquenta léguas (15.000km²). Figuram como beneficiários os seguintes colonos: 1) – Capitão Manuel Bezerra da Silva; 2) – Capitão Francisco Martins da Silva; 3) – Manuel Dias de Carvalho; 4) – Francisco Gomes; 5) – Domingos Mendonça; 6) – Domingos Ferreira Pessoa; 7) – Maria Rodrigues Costa; 8) – André Fernandes; 9) – Antônio da Costa; 10) – Maria de Lemos; 11) – Gonçalo Coelho de Souza; 12) – Violante da Fonseca; 13) – Vicente Corrêa; 14) – Paulo Coelho de Souza; 15) – Capitão João Luiz Barreto; 16) – Estêvam Velho Cabral; 17) – Maria Barreto; 18) – Francisco Sebastião da Fonseca; 19) – Francisco Soares; 20) – Jorge Coelho de Souza; 21) – Sebastião da Fonseca; 22) – Grácia Barreto de Maria; 23) – Antônio Tavares de Melo Falcão.
     Esses beneficiários, de acordo com os próprios interesses, passam a ocupar seus respectivos domínios, estendendo-se do Curu, buscando à deriva leste à procura da faixa litorânea setentrional, passando ao Norte da Serra da Uruburetama, rios Acaraú e Aracatiaçu até os contrafortes da Ibiapaba e a voltar em busca da Serra da Meruoca. Além dessas concessões, os lotes constantes do quadro abaixo e a contemplar colonizadores: 1) – Manuel de Góes; 2) – Francisco Pereira Lima; 3) – Amaro Fernandes de Abreu; 4) – Simão de Góes Vasconcelos; 5) – Fernando de Góes; 6) – Manuel de Almeida Arruda; 7) – Estêvam de Figueiredo.
     Além desses contingentes, outros adicionaram, igualmente providos de seus rebanhos e a gerar os troncos familiares dos quais se destacam as seguintes linhagens: 1) – Frotas; 2) – Rodrigues Lima; 3) – Cavalcantes; 4) – Domingos e Silvas; 5) – os Aguiar; 6) – Sabóias; 7) – Mendes Vasconcelos; 8) – Ximenes Aragão; 9) – Montes; 10) – Coelhos; 11) – Holandas; 12) – Viriatos de Medeiros; 13) – Filgueiras de Melo; 14) – Ferreira Gomes; 15) – os Paula Pessoa; 16) – Rodrigues de Albuquerque; 17) – Ribeiros da Silva; 18) – Furna Uchoa.
     Formado esse exército elitista, privilegiado em seus haveres e a buscar  caminho da prosperidade, gerou-se o complexo socialmente bem estruturado e a dar o embasamento demográfico do qual nasceria o reduto-sede que inicialmente tomaria o nome de Caiçara.
     O grupo do qual se originaria o primitivo arraial tem como precedentes o fazendeiro Antônio Rodrigues Magalhães e sua mulher D. Quitéria Marques de Jesus, doadores do sítio no qual seria edificada a Igreja-Matriz (1740). Deve-se ressaltar, no entanto, que entre o final do Século XVII e o início da primeira década do Século XVIII, não existia propriamente o engendramento de madeira, armado na parte superior de poços profundos e destinado a colher água através de utensílios apropriados. Poço e gangorra preenchida com a edificação da Igreja do Menino Deus.
     A partir da definição gregária, em termos de povoação e a ter como referencial o patrimônio eclesiástico, doado pelo casal Antônio Rodrigues e sua mulher D. Quitéria, surgiram, além da Casa-Grande, pequenas construções em taipa e cobertura de telhas, nascendo dessa projeção a primeira configuração urbana.

Evolução Política: Os primeiros indícios de estímulo à ereção em Vila, dos arraiais existentes na Província, têm-se como referência Carta Régia, datada de 22 de julho  de 1766. Por esse instrumento Régio manda-se elevar a essa categoria os povoados cuja população seja numericamente superior a cinquenta fogos. A então Caiçara figurava nesses limites. Sua elevação, portanto, à categoria de Vila, com a denominação de Vila Distinta de Sobral, guarda como registro a data de 22 de junho de 1773, ocorrendo sua instalação a 5 de julho do mesmo ano.
     A elevação da Vila à categoria de Município, com o nome de Fidelíssima Cidade de Januária do Acaraú, deu-se conforme Lei Provincial nº 229, de 12 de janeiro de 1841, grata retribuição do então Presidente José Martiniano de Alencar.
Igreja:
As primeiras manifestações de apoio eclesial têm como precedente uma capelinha tosca e edificada no Riacho Guimarães (1712). Em 1735, por imposição do Padre-Visitador Lino Gomes Corrêa, exigindo inicialmente o patrimônio eclesiástico. Satisfez essa exigência o Alferes Lourenço Guimarães de Azevedo, doando 100 braças de terras em quadro, local onde seria edificada a Segunda capela.

GEOGRAFIA
Área: 2.129km².                                                        

Área(% em relação ao Estado):
1,18.                        
Altitude: 69,49m.                                                  
Latitude: 3°41’.                                                 
Longitude: 40°20’.                                                
Mesorregião:
Noroeste Cearense.                           
Microrregião: Sobral.                                           
Limites:
Norte: Meruoca, Massapê, Santana do Acaraú e Alcântara; Sul: Santa Quitéria, Groaíras e Caridade; Leste: Miraíma, Irauçuba e Canindé; Oeste: Coreaú e Mucambo.
Distritos:   Caracará, Jordão, Patriarca, Aracatiaçú, Taperuaba, Jaibaras, Olho D’água, Trapiá, Bonfim, Raf. Arruda,S. J. do Torto, Carioca.                             
Acidentes Geográficos:
Serras do Rosário, da Corrente e do Feijão. Rios: Acaraú, Jaibaras, Aracatiaçú e Açude Aires de Sousa.                                                     
Recursos Hídricos:
Pluviometria (a média anual é de 854mm).
Atrativos Naturais: Lagoa da Fazenda, Fonte do Pajé (termal).

EDUCAÇÃO
N° de Escolas:    
                                                      
Rede Estadual Pré-Escolar 1° e 2° Grau: 21                       
Rede Municipal Pré-Escolar 1° Grau: 13                           
Rede Particular Pré-Escolar 1°: 12                                  
N° de Alunos matriculados:                                         
Rede Estadual Pré-Escolar: 3.044                                     
Rede Estadual 2° Grau: 1.610                               
Supletivo: 2.521                                                            
Rede Municipal Pré-Escolar: 614                                      
1° Grau: 2.056                                                           
Rede Particular Pré-Escolar: 435                                     
1° Grau: 1.521

SAÚDE
O Governo Estadual mantém no município os seguintes postos: Centro de Saúde de Sobral, Centro de Saúde São Vicente de Paulo, do Rotary do Lúcio Alcântara e do Lins Caiçara, Centro Experimental de Saúde Pública Uva, Dona Maria Eglantine, Santo Antônio, Waldemar Alcântara Sobral de Jaibaras. Posto de Saúde Olho D’água, de Jordão, de Caracas, de Aracatiaçú, de Taperuaba, e de Aprazível. Laboratório regional Dr. Trajano Medeiros, Diretoria Regional de Saúde de Sobral, Centro assistencial à Saúde da Mulher, A Prefeitura Municipal mantém: Pavilhão Rodrigues Albuquerque, Centro Social Urbano Sobral, Centro de Saúde Trajano de Medeiros, Centro de Saúde Dona Netinha Castelo, Centro de Saúde Prof. Antônio Porto, Centro de Saúde Dona Argentina C. Branco, Secretária de Saúde do Município – Centro de Saúde. O DNOCS mantém ambulatório no seu Posto de Saúde. Há o ambulatório mantido pelos servidores do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e o ambulatório mantido pelo Sindicato Rural.

ESTATÍSTICAS
População, Censo de 1999: 146.005

Densidade Demográfica(hab/km²): 77,44.         
Distância da Capital Em Linha Reta: 204km.
Distância por Rodovia: 224km.        
Vias de Acesso à Capital:
BR 222.                                               
Emissoras de Rádio: Rádio Tupinambá de Sobral Ltda-FM, Classe C, potência de 0,669kw, frequência de 95,9 Mhz, Rádio Hidros Comunicações Ltda-OM, potência de 1/1kw, frequência de 1320khz, Rádio Educadora do Nordeste e Correio da Semana Ltda-OM, potência de 5/1kw, frequência de 950khz, Rádio Tupinambá de Sobral Ltda-OM, potência de 10/1kw, frequência de 1120khz, e a Rádio Assunção Cearense Ltda-OM, potência de 1/0,25kw, frequência de 910khz, Rádio Regional de Sobral-OM, Rádio Cidade-OM.                                       
Energia Elétrica:
N° de Consumidores: 5.555,00.

PRODUÇÃO
Produção: Algodão árboreo e herbáceo, cajú, mandioca, milho e feijão. Pecuária: bovinos, suínos e aves.                                    

Indústrias: 153.

RECURSOS
Repasse do ICMS em 1995: R$-5.520.656,36.           

Renda Interna Municipal 1995:
R$-206.953,00.             
Renda Per Capita: US$-1.449.

PREFEITURA

Endereço:
Rua: Viriato de Medeiros,1250
CEP:
62.011-060
Fone:
(88) 677-1120
Fax:
(88) 677-1101
Eventos:
Aniversário da Cidade (05/setembro), FENAIVA - Feira de Negócios Artesanais e Industriais do Vale do Acaraú (05/setembro), Festa da Padroeira (08/dezembro), Sobral Folia (10 a 12/outubro).

www.ceara.com.br
©2003 - Todos os direitos reservados.
Contatos com Webmaster