Home

Tamboril
Posição no mapa



Participe!
Se você detectou alguma informação incorreta e possui mais informações atualizadas sobre esta cidade, envie-nos e nós publicamos.
    Clique aqui para enviar

 



HISTÓRICO

Data da Criação: 04/10/1854                    

Instalação: 04/10/1854.                             
Toponímia: Em razão da existência na região de uma árvore com essa denominação. Variação Toponímica: Desmembrado de Ipú.
Padroeiro:
Santo Anastácio.                    
Dia: 01/01.

História: Suas origens remontam ao Século XVIII, quando então por volta das décadas entre 1740 e 1760, situaram fazendas o Capitão Luiz Vieira de Sousa, juntamente com sua mulher D. Ana Feitosa. Houve prosperidade. Por ocasião da grande seca de 1777/79, viu-se o fazendeiro no iminente risco de perder os seus rebanhos. Faltava água. Nessa oportunidade valeu-se ele de Nossa Senhora Santana, recebendo pronto atendimento. O nume invocado apareceu-lhe em sonho. Mostrou-lhe  local onde deveria ser retido o precioso líquido. Essa retenção deveria ser feita através de barragem, com desvio do rio próximo e a formar reservatório de acordo com as necessidades do momento e futuras épocas contingenciais.
     Construído o reservatório e salva a fazenda, houve como retribuição ao seu venerado nume de adoração a edificação de uma capela na fazenda, dedicada em sua honra e a firmar-se pelos tempos adiante como raiz precursora do povoamento. Antes do cumprimento dessa promessa  faleceria o promitente. Seus familiares levariam adiante o projeto, como forma de gratidão, construindo oportunamente a capela.
Evolução Política: Sua elevação à categoria de Vila e Município, simultaneamente, deu-se conforme Lei Provincial nº 664, de 4 de outubro de 1854, ocorrendo sua instalação a 25 de junho de 1863. Suprimido, conforme Dec-Lei nº 193, de 20 de maio de 1931 e restaurado na forma do Dec-Lei nº 1.156, de 4 de dezembro de 1933.Igreja: As primeiras manifestações de apoio eclesial têm suas raízes calcadas na promessa feita pelo Capitão Luiz Vieira de Souza, quando de suas aperturas na grande seca de 1777/79 e retribuição em forma de bens patrimoniais.Nos primeiros dias logo após sua morte, de que a História não guarda registro, iniciaram-se os trabalhos de construção da capela, cujo orago, na forma expressa pelo extinto, deveria ser dedicado em honra da Senhora Santana. Concluída a obra, que deverá ter ocorrido no início da segunda metade do Século XIX, tratou-se de cumprir o restante, fazendo entronizar no templo a imagem da padroeira. Deu-se, no entanto, por lamentável engano. A imagem, encomendada de Portugal e paga conforme o valor exigido, pertencia a Santa Anastácia. Em razão do equívoco, resolveu a família dirigir consulta às autoridades eclesiásticas sobre qual das imagens deveria permanecer como padroeira, considerando que a Senhora Santana havia sido endereçada à capela de Independência. Houve resposta imediata. Santa Anastácia firmou-se no trono destinado à Senhora Santana e esta no que deveria pertencer a Santa Anastácia. Consta como seu primeiro vigário o  padre Gonçalo Inácio de Loyola Albuquerque Mororó, famoso republicano, cuja vida seria em holocausto à nobre e porvindoura causa.
     A Freguesia provêm de Lei Provincial nº 629, de 17 de dezembro de 1853, tendo como vigário o padre Raimundo Félix Teixeira.

GEOGRAFIA
Área: 1.700km².                                                     

Área(% em relação ao Estado):
11,6.                 
Altitude: 322m.                                                          
Latitude: 4°50’.                                                   
Longitude:
40°20’.                                            
Messorregião: Sertões.                                  
Microrregião:
Sertões de Crateús.                             
Limites:
Norte: Nova Russas e Santa Quitéria; Sul: Independência e Crateús; Leste: Monsenhor Tabosa, Boa Viagem; Oeste: Nova Russas, Ipaporanga e Cratéus. Distritos:    Boa Esperança, Carvalho, Oliveiras, Sucesso, Holanda e Currais.              Acidentes Geográficos: Serra dos Matos, Rio Acaraú, Riachos Arara, Barbosa, Morcego, da Onça e Olho D’água.
Recursos Hídricos: Pluviometria (a média anual é de 729mm).

EDUCAÇÃO
N° de Escolas:     
                                                         
Rede Estadual Pré-Escolar 1° e 2° Grau: 3                        
N° de alunos matriculados:                                          
Rede Estadual Pré-Escolar: 340                                        
1° Grau: 1.804.                                                          
Rede Estadual 2° Grau: 153                                      
Supletivo: 34.

SAÚDE
Centro de Saúde de Tamboril, Posto de Saúde de Carvalho, Posto de Saúde de Oliveira, de Sucesso, de Holanda, de Boa Esperança, de Curatis. Pronto Socorro Municip
al.

ESTATÍSTICAS
População, Censo de 1999: 28.329.

Densidade demográfica(hab/km²): 15,45.          
Distância da Capital em Linha Reta:
232km.                                             
Distância por Rodovia:
282 km.                                 
Emissoras de Rádio: Não tem.
Abastecimento D’água: 1.744 ligações.
Energia Elétrica: N° de Consumidores: 3.146. Total Consumo: 270.053.

PRODUÇÃO
Produção: Algodão árboreo e herbáceo, mamona, milho e feijão. Pecuária: bovinos, suínos e aves.                                     

Indústrias: 02.

RECURSOS
Repasse do ICMS em 1995: R$-322.980,48.            

Renda Interna Municipal 1995:
R$-1.892,00.              
Renda Per Capita 1991: US$-116.

PREFEITURA

Endereço:
Centro Administrativo
CEP:
63.750-000
Fone:
(88) 827-1175
Fax:
(88) 827-1175
Eventos:
Não temos dados.

www.ceara.com.br
©2003 - Todos os direitos reservados.
Contatos com Webmaster